Bolsonaro: a face da homofobia, racismo e machismo

Posted by

Vem as eleições brasileiras, e com ela chega a revelação do preconceito de toda uma nação, representados por uma só pessoa, Jair Messias Bolsonaro.

O candidato à Presidência da República faz toda sua campanha baseada em homofobia, racismo e machismo, e o que mais assusta não são suas ideias preconceituosas e retrogradas, mas sim a quantidade de pessoas que compactuam com o mesmo pensamento, o que leva o líder do PSL (Partido Social Liberal) a liderar as pesquisas já no primeiro turno.

Jair chegou a comentar publicamente que preferia “um filho morto a gay”, e que “ser gay é falta de porrada”. Se não bastasse, foi contra o projeto “escola sem homofobia”, que tinha como objetivo passar o respeito para os alunos, como é contra a tudo que passe respeito, transformou em algo promíscuo, chegando a comprar um livro com o tema de sexo, e dizer que “fazia parte do kit gay”. Seus fãs aceitaram a mentira, sem nem procurar saber a veracidade da informação.

A repercussão foi tamanha, que a editora e a própria escritora, mesmo não sendo brasileira, tiveram que se manifesta desmentindo o candidato.

Estendendo seu preconceito, Bolsonaro já fez diversos comentários racistas, afirmando que “Quilombola não servia nem pra procriar”, e que “os filhos deles não casariam com uma negra pois foram muito bem educados”.

Em momentos mais recentes, o candidato afirmou que “os Portugueses não escravizavam os negros, que eram os próprios negros que se escravizavam, e os Portugueses nem iam na África”, tudo isso para justificar que era contra as cotas raciais.

Quando achamos que já foi o suficiente de absurdos ditos pelo presidenciável, nos deparamos com a frase “não te estupro porque você não merece”, ditas a uma deputada na frente das câmaras, chegando a empurra-la, sem medo das consequências.

Num outro momento, ao vivo em um programa de TV, Jair afirma que “não contrataria mulher com o mesmo salário que homem”, segundo sua lógica, mulher da mais despesas a empresas por engravidar.

O machismo é tamanho, que ele leva isso pra dentro de casa, afirmando que teve 4 filhos, no quinto deu uma “fraquejada” e veio mulher.

Os absurdos de Bolsonaro ultrapassam a lógica, a ciência, a história e a humanidade, mas o que mais impressiona são seus seguidores. Em tragédias que ocorrem no Brasil, ou fora, é comum ver seus seguidores apoiando o acontecimento, seguido da palavra “bolsonaro2018”, seja um estupro, assassinato, racismo, etc, chegando a dizer que quem ir contra é “mimimi”, ameaçam todos que vão contra o candidato. Existem relatos onde os fãs do Jair chamam uma mulher negra de “negra fedida” e “a escravidão nunca deveria ter acabado”, outros dizem que “gays deveriam ser fuzilados”, ou que “mulher deveria estar em lavando louça, e não votando”, e afirmações que “a opressão será grande quando ele ganhar” muitos desses comentários são seguidos por um emoticon simulando arma.

Até hoje é esperado que o candidato apresente alguma proposta de melhoria para o país, mas isso é algo difícil de ver, já que o mesmo já declarou várias vezes não ser especialista em assuntos importantes, como economia, saúde e educação, mas de alguma forma, seus seguidores dizem que ele é “o salvador do país”.

Se existe a face do preconceito, ele se chama Jair Bolsonaro, pois nos leva a crer que seus seguidores esperam que ele assuma o poder pra colocar todo o preconceito que está guardado para fora.

A luta para que o presidenciável não chegue ao poder máximo do país é grande, muitas pessoas da classe artística se juntam a causa, como a cantora drag Pabllo Vittar, que está desfazendo parcerias com marcas que apoiam o candidato, assim como sua amiga e cantora Ludmilla.

Dia 29 de setembro estaremos todos nas ruas, para mostrar nosso descontentamento com o candidato, e que não deixaremos o fascismo e o preconceito vencer. 

Texto enviado por  Rodrigo Peniche (Correspondente de Rio de Janeiro).

Entrem no grupo LGBTQ unidos contra Bolsonaro !

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *