Bissexualidade: a fluidez de uma orientação sexual mal-entendida

 

Wikipedia:  “atração pelos dois géneros binários, homem e mulher”.  Infopedia: “atração por indivíduos de ambos os sexos”. Priberam: “atração ou interesse sexual pelos dois sexos”.

Para falarmos de bissexualidade, temos primeiramente que falar de orientação sexual:  neste sentido, a bissexualidade difere da homossexualidade (atração pelo mesmo género binário) e da heterossexualidade (atração pelo género binário distinto do próprio). Apesar de referirmos estas três formas de orientação sexual, devemos vê-la de forma fluida tal como refere a imagem (fonte: Associação Para o Planeamento da Família em http://www.apf.pt/sexualidade/identidade-e-orientacao-sexual):

Neste sentido a bissexualidade (tal como a pansexualidade, que estende a fluidez quanto à identidade de género e o sexo biológico) é mais fluida que as monossexualidades, como a heterossexualidade ou a homossexualidade.  Esta fluidez é muitas vezes mal entendida e discriminada por ser estereotipada com base na suposta promiscuidade, poligamia ou mesmo perversão, porque há um desconhecimento de que a bissexualidade seja uma orientação sexual que não implica necessariamente ter vários parceiros simultâneos de ambos os géneros, mas normalmente um parceiro de um determinado género (homem ou mulher) a cada relacionamento, que não são necessariamente de curta duração.

 

Segundo Maria Joana Almeida (psicóloga e sexóloga), “caminhamos no sentido de esbater fronteiras e criar mais diversidade, menos dualidade. A teoria queer põe em causa as identidades sexuais e aponta para a necessidade de abolir conceitos muito delimitados ou predefinidos em relação à sua sexualidade. Cada pessoa define-se como quer” (fonte: https://observador.pt/2015/11/02/os-n-sexuais-8-caracterizacoes-sexuais-menos-conhecidas/).  Esta visão fluida e holística da sexualidade da teoria queer e o melhor conhecimento das esferas da sexualidade humana ajudam a esbater preconceitos quanto às orientações sexuais não heterocisnormativas (que não seguem os padrões pré-estabelecidos de género e orientação sexual em consonância com o sexo biológico), como a bissexualidade.

Texto Escrito por António Soares

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *