PrEP, uma nova realidade em Portugal ?

Posted by

O Ponto Íris entrou em contato com o “GAT“, Com o intuito de informar tudo sobre o PrEP. Desta forma iremos dar informação (Links, brochuras)para todos os nossos seguidores ficarem devidamente informados.

O que é a PrEP? 

PrEP significa profilaxia pré-exposição. Pré-exposição porque é tomada antes da relação sexual. Profilaxia significa prevenção da infeção – neste caso pelo VIH.

Sendo assim, a PrEP deve ser utilizada por pessoas seronegativas para o VIH de forma a impedir que se tornem positivas. Atualmente está apenas disponível sob a forma de comprimidos. Para os homens que têm sexo com homens (HSH) e as mulheres trans, a PrEP é eficaz utilizando uma combinação de 2 substâncias: o tenofovir DF e a emtricitabina.

O nome do medicamento comercializado em Portugal que contém ambas as substâncias é o Truvada® mas existem países como a Índia que produzem genéricos como o Tenvir-EM®. Tanto o tenofovir DF como a emtricitabina são fármacos atualmente usados para o tratamento de pessoas que vivem com o VIH. Aprovado inicialmente em 2004 para tratamento, o Truvada® já foi aprovado nos EUA em 2012 para ser utilizado como PrEP.

Existem alguns estudos que demonstram que o tenofovir DF usado isoladamente é eficaz na prevenção da infeção através do sexo vaginal.

Quem beneficia da PrEP?
Se és negativo para o VIH e não usas SEMPRE preservativo, a PrEP pode reduzir o teu risco de infeção pelo VIH. Outras situações que podem aumentar o teu risco de infeção são:

• Uma infeção de transmissão sexual (IST) recente (sobretudo infeções anais, como a sífilis). • Uso recente de profilaxia pós-exposição (PPE).

• Utilização de drogas como metanfetaminas, mefedrona, MDMA ou GHB durante as práticas sexuais – “chemsex”.
Se te identificas com qualquer uma das situações anteriores significa que podes beneficiar ainda mais da PrEP. Em caso de dúvida procura o teu médico ou enfermeiro e coloca as tuas questões.

Toda a informação retirada: Gat

Se tiveres duvidas entre em contato com o GAT.

 

 

 

 

 

 

 

Segundo o SNS (serviço nacional de saúde)

A profilaxia pré-exposição (PrEP) está presente, atualmente, em alguns países, enquanto instrumento de prevenção da infeção e demonstrou um impacto muito importante na redução da incidência de VIH.

Entre as diferentes entidades necessariamente envolvidas no processo de introdução e comparticipação no Serviço Nacional de Saúde, a Direção-Geral da Saúde efetivou a sua perspetiva técnico-científica, enquanto autoridade máxima de saúde, através da norma de orientação clínica para prescrição de PrEP, emitida no dia 28 de novembro e que se encontra em discussão pública.

Paralelamente, decorre o processo de avaliação prévia dos medicamentos pelo INFARMED – Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, passo essencial para a aprovação e a comparticipação de qualquer medicamento.

A prescrição de PrEP deve ser realizada por médicos que integram a rede de referenciação hospitalar para a infeção por VIH, após avaliação do risco acrescido de aquisição de infeção por VIH e de outras infeções sexualmente transmissíveis, efetuada em consulta de especialidade e mediante o consentimento informado da pessoa.

Fonte: Serviço Nacional de Saúde

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *