Bernardino Luís Nascimento Costa, um jovem de 19 anos

Sharing is caring!

Sou o Bernardino Luís Nascimento Costa, um jovem de 19 anos que vos vai presentear com as minhas opiniões no que diz respeito ao mundo LGBT+ e que teve a sorte de nascer gay!

Agora perguntam-se … sorte?

 

Explico o porquê de dizer isto. Foi no dia 11 de Setembro que nasci, foi nesse dia que comecei a aprender o que era o mundo. Sempre fui uma criança feliz, nunca me faltou nada e sempre sorridente. Contudo, quando entrei pela primeira vez na pré-primária fui confrontado com o conceito de aprendizagem social. Desde que somos pequenos, direta ou indiretamente, são-nos incutidos valores que são convencionalmente aceites pela sociedade. Os meninos tinham de brincar com os carrinhos e as meninas com as bonecas e casinhas.

O que acham que queria fazer?

Tudo menos brincar com carrinhos! Queria estar com as meninas a divertir-me, mas sempre que tentava fazê-lo por alguma razão, as educadoras nunca me permitiam. Aquelas ações tinham muito impacto no meu pensamento e comecei a questionar-me porque não podia fazê-lo e porque é que aquilo que sentia estava “errado” na visão das educadoras.

O tempo passa e, entretanto, a minha mãe retirou-me da creche devido aos maus-tratos por parte de uma das educadoras. A melhor solução foi ficar em casa até atingir a idade de frequentar a primária na escola. E assim foi. Inicialmente, a minha entrada na escola foi pacífica e sem problemas de maior. Até que as minhas escolhas ,na hora do intervalo, fizeram crescer “alguma indignação” nas outras crianças.

O facto de querer juntar-me às meninas para brincar e não me juntar aos rapazes para jogar futebol era mote para todos me chamarem de Gay! Surgia assim uma nova palavra na minha cabeça. O que era isso? Comecei a tentar perceber e procurar respostas onde quer que elas estivessem.

Já bastante mais crescido, nos meus 13/14 anos completei o puzzle que estava a ser construído na minha cabeça. Percebi a minha diferença e não era caso único da família. Afinal quando me diziam que “era um amigo do tio” queriam dizer outra coisa. Percebi o que estava a sentir e sempre me conformei com isso e a partir dai vivi a minha vida como queria.

Sou sincero ao dizer que enquanto mais pequeno e apesar de saber o que sentia, escondia dos outros com medo de algum ataque pessoal. O crescimento e a experiência de vida, fez-me acreditar em mim mesmo. Agora sou um jovem assumidamente homossexual e estou muito feliz. Como não estar feliz quando se tem uma família que te aceita e não te julga? Como não estar feliz se eu próprio sou bem resolvido?

Falava em sorte por ter nascido assim! Essa sorte está ligada ao enriquecimento pessoal e de valores a que fui sujeito e que me fez crescer como pessoa. Todas as coisas más que foram acontecendo só me ensinaram a nutrir os meus bons costumes e educação e me fizeram um ser humano muito melhor!

3 semanas ago

2 Comments

  1. Gostei muito do que li, Bernardino Luís, também assim foi comigo e ainda bem que és uma pessoa bem resolvida, assim não existe sofrimento na tua vida. Abraço!

  2. Gostei. És muito corajoso.tenho um filho da tua idade.ja tem namorada. Apesar de achar que era muito cedo para se prender porque já namora para a miúda a quase dois anos. Sempre lhe disse só quero que sejas feliz.antes namorar cedo com quem quer que seja que procurar um mundo de drogas.que eu vivi um caso na família onde todaa família ia sendo destruída. Se és feliz . força. É tão bom quando toda a família está junta e feliz.Eu conheço o teu pai desde criança. Sempre humilde. Boa pessoa.sou juca . força miúdo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *