Se somos todos filhos de Deus, devemos ser respeitados.

Sharing is caring!

Como é possível a própria igreja católica discriminar alguém? No caso que vou explicar, por ser gay. Fui educado na religião católica. Resumidamente aprendi a seguir os mandamentos fundamentais da Lei de Deus “Ama o teu próximo como a ti mesmo”,  “Ama a Deus sobre todas as coisas”

Uma grande parte da comunidade gay que conheço, ainda tem um carinho especial pela Igreja Católica, mesmo sendo discriminados.

Este sábado na praia de Mira, ocorreu um caso insólito.  Miguel Alcaide foi impedido de ser padrinho  de um adolescente institucionalizado da Obra Frei Gil na realização de um sacramento “Crisma”, por ele ser homossexual e estar casado com outro homem, pelo civil.

No entanto começamos a ver a ignorância do padre, desculpando-se nos meios de comunicação, que foi a catequista que proibiu. Mesmo assim não o poderia ser devido ao direito canónico da igreja. Só podem ser padrinhos as pessoas que têm o sacramento do matrimónio! Isto é de lamentar.  O Padre afirmou ao CM que quer falar muito com o Miguel.

Em Fevereiro deste ano, João Maria foi afastado do coro por “indisciplina e insubordinação”. O Maestro afirmou que foi expulso pelo  facto de ter assumido a sua relação homossexual.  Todo o coro esteve em solidariedade para com  ele, usando o luto a par da decisão. Este tipo de exemplo demonstra que a própria  hierarquia da igreja, aponta e discrimina as pessoas.

Nós, não fomos criados à imagem de Deus? Nós, não somos todos filhos de Deus?

Afinal qual é a mensagem de Deus?

Será, discriminar as pessoas?

Será , promover a desigualdade social?

Se somos todos filhos de Deus, devemos ser respeitados, devemos estar unidos para construir um mundo melhor.

Gostava de convidar a lerem esta mensagem da paz e refletirem um pouco o que se está a passar neste momento! Todos nós devemos ser felizes à nossa maneira, fazer da vida uma dádiva de Deus.

 

2 meses ago

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *